JUSTIÇA

O mau jornalismo reclama da boa Justiça

Justiça falha é a que tarda. Esse ditado quer se sobrepor ao de que a Justiça tarda, mas não falha. Pois não é a que a Folha de S. Paulo, em mais uma de suas falhas, resolveu criticar o juiz Sérgio Moro por sua celeridade. Matéria foi manchete de hoje do jornal. Meramente especulativa, já que não se debruçou sobre as peculiaridades de cada processo, o jornal paulista aponta que o recurso de Lula à segunda instância levou apenas 42 dias, recorde. Quem menos levou tempo, antes disso, foi a empreiteira UTC (53 dias).

Em vez de analisar positivamente, o jornal insinua que teria sido para prejudicar Lula. A Folha, enfim, reconheceu que há ditadura na Venezuela, mas os petistas da redação não perdem a chance de defender os seus.

O juiz Sérgio Moro rebateu a reportagem, dizendo que os prazos do processo de Lula foram estritamente seguidos:

“O tempo para subida de recursos da primeira instância à segunda instância depende exclusivamente da ocorrência ou não de incidentes nessa fase processual”, escreveu o magistrado.

Moro é realmente um ponto fora da curva na Justiça brasileira. Já a Folha é um jornal igual aos demais.

TCE do Rio acumula 17 anos de propina

O ex-presidente do TCE Jonas Lopes e mais cinco pessoas foram denunciados pela Procuradoria Regional da República.  A denúncia foi encaminhada na última quinta-feira ao STJ – Felix Fischer, ministro relator. O processo é fruto da Operação Quinto do Ouro, realizada em março, quando foram presos, mas logo libertados, cinco conselheiros do TCE. Segundo a denúncia, o esquema de propina remonta há 1999, fluindo livremente durante 17 anos.

A matéria foi divulgada com exclusividade pela GloboNews (mais…)

TJ recua

Pressão dos deputados da oposição e da base levou o Tribunal de Justiça a retirar da AL mensagem que extinguia Comarcas no interior do estado. O blog apurou que a matéria tinha forte resistência de deputados governistas. Para não perder na votação, o TJ recuou e vai estudar melhor a matéria

Sobre o assunto, fala o deputado Carlos Matos (PSDB).

http://inconteste.com.br/wp-content/uploads/2017/08/Carlos-Matos.mp3