camilo santana

Tasso dá uma de coronel pra cima do capitão

Bombeiros torcem para que o atrito entre os dois não passe de uma tempestade em copo dágua.

Logo depois do vazamento de que o senador Tasso Jereissati indicaria o deputado Capitão Wagner para disputa eleitoral ao Governo do Estado, veio à tona a discussão entre os dois principais nomes da oposição. O senador teria condicionado seu apoio ao alinhamento do deputado ao presidenciável tucano (Alkmin, a preço de hoje).

Capitão Wagner não aceitou a imposição, tendo em vista que grande parte de seu eleitorado já se perfila ao lado de outro militar, e da mesma patente: Jair Bolsonaro. O capitão cearense defende um palanque local que comporte os presidenciáveis das principais forças que comporiam a chapa estadual, sem restrição ao nome de um ou outro. Mas a ideia não prosperou, provocando irritação nos dois lados.

A desavença, se não contornada, tinge de cores sombrias o horizonte oposicionista.

Depois da chegada de Eunício às hostes governistas, o racha entre Tasso e Wagner é a melhor notícia para a reeleição de Camilo Santana.

Ceará usa tecnologia israelense para fazer água

Sob a regência do governador Camilo Santana, a Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) apresentou cinco Estações Móveis de Tratamento de Água – ETA, que foram adquiridas em Israel. A solenidade se deu na manhã desta quinta-feira (9), no pátio de exposição da SDA. As máquinas, que podem dessalinizar, descontaminar e purificar água bruta e transformá-la em potável, vão ser utilizadas nas zonas rurais em situação de emergência.

Das cinco estações, três ficarão com a SDA, para purificação de águas continentais – de pequenos reservatórios e poços – que se apresentem impróprias para o consumo humano. As outras duas serão usadas pela Cagece para tratamento de águas com altos índices de salinidade, até mesmo água do mar.

Na ocasião, o governador anunciou a aquisição de equipamento e tecnologias para abrir poços no aquífero do Cumbuco. Com isso, e o reúso de água pelas próprias indústrias do Pecém, Camilo Santana garantiu que água vinda do Castanhão e de reservatórios da Região Metropolitana de Fortaleza serão unicamente para consumo humano. O Complexo do Pecém passaria a ter autonomia hídrica.

A solenidade contou com a presença do embaixador de Israel, Yossi Avraham Shelle, que começou seu breve discurso com um “nós, cearenses…”. Vai ver, ele soube que o cearense é tido como o judeu brasileiro. Nas palavras de João Brígido, cada estado tem um produto de exportação. O Ceará exporta gente.

Com as obras e as tecnologias que estão vindo de Israel, Camilo contribui para acabar com a eterna diáspora dos cearenses, que corriam de seu Estado, tangidos pela seca, e voltavam ao primeiro estrondo dos trovões.

Estiveram presentes, além dos citados, o titular da SDA, Dedé Teixeira, o secretário da Casa Civil, Nelson Martins, e os deputados Moisés Braz e Gony Arruda.